Estufa

de Vidro

Como escolher o vaso certo para as plantas

como escolher o vaso certo para as plantas Escolher o vaso certo para as plantas é o primeiro passo para tudo correr bem e as nossas plantas ficarem felizes e viçosas. A terra é o suporte da planta e dela depende o sucesso (ou o insucesso) das nossas plantações.

Por isso, vamos ver como escolher o vaso ideal para as nossas plantas?

Conhecer o que estamos a plantar

Talvez o conselho mais importante que alguma vez me deram! As plantas não são todas iguais e as suas necessidades variam bastante. Enquanto uma alface necessita de pouca profundidade de terra, pois tem as raízes curtas, um tomateiro vai precisar de um vaso com mais profundidade, devido às suas raízes longas.

As plantas não são diferentes apenas na quantidade de terra que necessitam, também a quantidade de água, vento e luminosidade necessárias variam bastante. Portanto, o primeiro passo é sempre conhecer aquilo a que estamos a tentar dar vida.

Aspetos a ter em conta quando escolhemos o vaso

Há uma enorme variedade de vasos à nossa disposição, desde floreiras gigantes a pequenos vasos decorativos. Todos eles têm o seu papel, mas nem todos são adequados às necessidades das nossas plantas.

1. Tamanho do vaso

Começo por aqui porque sem o tamanho ideal para a planta, dificilmente conseguirão vê-la vingar. O espaço não é ilimitado, principalmente para quem apenas tem uma horta numa pequena varanda ou numa cozinha, mas isso não significa que possamos economizar no tamanho dos vasos.

As plantas têm necessidades diferentes de quantidade de terra e devemos, sempre, respeitá-las. É preferível ter menos plantas, mas saudáveis, do que muitas plantas débeis.

2. Vaso com furos ou sem furos?

A forma como regamos tem imensa importância na saúde da planta e a água precisa de escoar, sempre! Por isso, se só temos um vaso este deve ter furos. Caso tenham dois vasos, um interior e o exterior decorativo, então basta que o interior tenha furos (não se esqueçam de pontualmente despejar a água que possa ficar no vaso exterior).

Optem por vasos já com furos ou vasos em plástico que possam ser furados. Cerâmica é muito difícil de furar sem partir, portanto não recomendo a não ser que sejam muito (mas muito) habilidosos.

3. Floreira ou vaso?

As floreiras podem ser muito interessantes, afinal, podemos poupar imenso espaço. Eu própria sou adepta das floreiras verticais, mas aqui também devem ter em conta as plantas que a vão habitar.

Há plantas que se dão bem umas com as outras (vejam o ponto 3), enquanto algumas podem mesmo morrer quando na presença de outras. Por exemplo, a salsa detesta estar perto de coentros.

Portanto, floreiras sim, desde que as plantas sejam “amigas”.

4. Cor/Material do vaso

Pode não parecer importante, mas certos materiais retêm mais calor que outros. Também as cores fazem o mesmo. Um vaso preto vai aquecer mais a terra que um vaso branco, portanto convém ter este aspeto em conta.

Esqueci-me de alguma coisa? Têm mais alguma dica para partilhar?

4 Comments

  1. Nas floreiras de aromáticas por exemplo é muito importante! Eu por acaso tenho sempre a mania de por as aromáticas separadas, mas num workshop vi a levantarem essa questão e achei interessante que realmente a água que uma menta quer não é a mesma que um manjericão por exemplo 🙂

    • Exatamente!
      Devemos ter em conta as necessidades de cada planta, pois a floreira não permite “tratamentos” separados. Eu tenho algumas aromáticas juntas, mas todas com necessidades aproximadas. Por exemplo, alecrim com orégãos, ambas gostam de pouca água.
      Relativamente às mentas, não se devem mesmo misturar com outras, pelo menos com outras mais frágeis… As hortelãs crescem muito e podem matar as outras plantas.
      Obrigada pelas dicas extra 😉

  2. Júlia Dugaich

    Outubro 9, 2015 at 19:20

    Nossa ! adorei todas as dicas e sugestões, vou levar tudo em consideração para a horta que quero fazer.

    Tenho uma dúvida em relação aos vasos, ainda na questão de serem furados ou não.
    Sigo muitos blogs de decoração que fazem hortas em objetos decorativos que por sua vez não tem furo embaixo e me parece que não são cachepôs.
    Quando vejo, me parece que lá as plantas estão plantas direto naquele recipiente.

    Gostaria muito de ter uma hortinha desse tipo que vejo nos blogs.
    É possível plantar cerefolio, salsa, manjericão, manjericão roxo, orégano e pimenta malagueta – nesses tipos de vasos? Utilizando a argila expandida e a manta?

    Não entendo muito de horta, li um pouco e gostaria da opinião de um profissional para que a mina hortinha sobreviva 🙂

    Muito obrigada,

    Júlia Dugaich

    • Olá Júlia!

      Esses vasos que vemos todos bonitos, sem furo, normalmente não são ideais para plantas… Ou seja, todas as plantas precisam que a água em excesso escorra, daí a importância do furo.
      Se não tiver mesmo hipótese de usar vasos com furo, recomendo plantar apenas plantas pequenas e ter muita atenção na hora da rega, para não ser em excesso. Mas a recomendação é mesmo vasos com furo 🙁

      Boa sorte para a sua horta!
      P.S. Não somos especialistas, estamos apenas a aprender e a partilhar 😉

Comments are closed.

© 2017 Estufa

Theme by Anders NorenUp ↑